logotipo ence

 

Agenda de Eventos Externos
Horário
Seloge.
processo_seletivo.
SAS
1/5 
start stop bwd fwd

 
 
 Coral Dez 19
 

Defesa de Dissertação de Natália da Silva Fernandes

 ESCOLA NACIONAL DE CIÊNCIAS ESTATÍSTICAS

Pós-Graduação em População, Território e Estatísticas Públicas

Defesa de Dissertação

A Escola Nacional de Ciências Estatísticas convida para a Defesa de Tese de Mestrado intitulada: “Doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti e a Agenda 2030: um desafio para o Brasil”.

Aluna: Natália da Silva Fernandes

Data: 11 de Fevereiro de 2020 – Terça-Feira

Horário: 14h00m

Local: Ence - Rua André Cavalcanti, 106 – Sala 306 – Bairro de Fátima

Resumo: Por ainda configurar um problema de saúde pública mundial, as doenças infecciosas e parasitárias foram priorizadas pela Organização das Nações Unidas (ONU) na chamada Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável (ONU, 2015). Como a ONU permite que os países adequem a Agenda à sua realidade, o Brasil fez uma adaptação das metas globais dando também destaque às arboviroses transmitidas pelo Aedes Aegypti entre as metas do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 3: “Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades” (IPEA, 2018). Nesta dissertação, buscou-se avaliar se o Brasil tem adotado medidas que tornem viável acabar, como problema de saúde pública, com as doenças transmitidas pelo Aedes Aegypti até 2030. Com esta finalidade, foi realizada uma análise da produção cientifica sobre prevenção e controle da dengue, zika e chikungunya no Brasil em três importantes bases de dados bibliográficas: SciELO, Scopus e Web of Science. De acordo com os critérios estabelecidos, 45 artigos publicados entre 2002 e 2018 foram selecionados e analisados. Também buscou-se avaliar os indicadores de morbidade e mortalidade dessas doenças, utilizando como fonte de dados o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e os Boletins Epidemiológicos do Ministério da Saúde. A literatura se apresentou bastante crítica em relação a gestão e execução das atividades de enfrentamento à dengue, zika e chikungunya no Brasil, apresentando inúmeras falhas em suas diversas áreas de atuação. A crescente incidência dessas arboviroses e sua letalidade corroboram a insuficiência das medidas adotadas. Frente a este cenário, sem a reformulação da atual política de combate, o Brasil não conseguirá alcançar até 2030 a meta prevista no ODS 3.

Palavras-chave: ODS; Aedes Aegypti; dengue; zika; chikungunya.

Banca examinadora:

Dra. Ana Carlina Soares Bertho (Ence/IBGE) – Orientadora

Dra. Maria Salet Ferreira Novellino (Ence/IBGE)

Dr. Ricardo Antunes Dantas de Oliveira (FIOCRUZ)

Coordenação de Pós-Graduação

Endereço: Rua André Cavalcanti, 106 - Bairro de Fátima - CEP 20231-050 - Rio de Janeiro